terça-feira, 30 de setembro de 2008

Ela


Ela estava confusa, não sabia a quem obedecer. Era aquela antiga rixa entre o certo e a vontade que dê certo, e ninguém se importava de que no meio disso tudo estivesse ela, na verdade parecia ser o motivo da existência.. a perturbar. E na sua indecisão ela tornou-se inconstante e insegura. Mas entendam, não era nada fácil estar em seu lugar.. parece que só ela sabia. E pensou, pensou, pensou. Não alcançou vitória nem consenso, lutou contra as evidências. Não teve jeito.

E num momento de impulso (como se nada do que fizesse repercutisse no futuro) se entregou, escolheu fazer o certo. Talvez tenha feito a escolha errada. Talvez não. Ela ainda não sabe ao certo. Só sabe que não está feliz, ela deveria estar feliz, não deveria? O tempo passa e nada muda, a mente voa, aperta, conturba e depois como numa auto-defesa finge que nada acontece.. vêm os fatos e esmurram de realidade o rosto dela. Ela não liga mais, nada importa. Ela está arrependida, mas está atrasada. O tempo não pára, não espera nem um minuto pra ela reconstruir tudo rapidinho. E ela aprende que a vida é rara, não aceita rascunho.

8 comentários:

... disse...

aiaiai...
como eh verdade tudo isso!!
será que tem relação com "aquilo"?
bom, se não tiver.. quantas vezes acontece isso neh?! a verdade vem, nos esmurra na cara.. e ficamos as vezes inertes esperando que reação teremos, até que despertamos e resolvemos nos entregar ao certo, ao concreto, ao eterno...
eh isso amiga... a vida não permite rascunhos, por isso precisamos nos tornar uma história que valha a pena ser lida!!
tô contigo nessa..

bjo grande..
saudade de vocÊ... árvore robusta (pegou... e agora??)... hahaha

Fica com Deus.

Anônimo disse...

Entendi nada.. sou burro, ou nao li as entrelinhas?
Mas parece que alguem entendeu:
"será que tem relação com 'aquilo'?"

=*

Anônimo disse...

hummm...

Aline disse...

Nooooossa!
A mais pura realidade! O fato é que toda essa avalanche de sentimentos é um mal necessário. Como seria se tudo sempre fosse perfeito e claro?
Mesmo quando uma desesperança crônica do amanhã nos invade, é necessário que haja "força para perceber que a estrada vai além do que se vê"; é por meio das adversidades que nos tornamos fortes!
A vida não nos permite rascunhos, mas nos permite obter experiência e sabedoria para as situaçaões futuras semelhantes as quais já vivenciamos.
Quanto a incerteza, aquela nossa velha companheira de todas as horas, já me acostumei a ela; agora prefiro pensar como o bom Oscar Wilde ao dizer que "é a incerteza que dá encanto aos fatos".

Noemiziiinha, um beijo enorme para você =)

Aline

Dani Vieira disse...

Caramba..
perfeito teu texto!

"A vida é rara, não aceita rascunhos..."

Mas isso é bom, viu?!

Se rascunhos fossem permitidos, pode ter certeza, erraríamos muito mais!

Acho que deu pra ler algumas coisas nas entrelinhas, mas... :X

bjuuu

matheus matheus disse...

ah... que lindo. também fiz um texto sobre amélie. confere lá e depois me diz o que achou

Clara Ventura disse...

hummm,tem coisa aí por traz ne senhorita!
mas como estou por fora..
de qualquer modo...muito bom! =)

Franciny Souza disse...

Passei, li e tenho q dizer me identifiquei/ adorei demais esse texto!
:**

Traduza aqui