sábado, 22 de dezembro de 2007

Que mundo é esse que não é o meu?




É incrível como não sabemos nem o mínimo do que pensamos saber, achamos que somos os donos do mundo, que podemos mudá-lo, molda-lo do nosso jeito...pobre de nós! A cada dia que passa eu vejo o quão é insignificante o que antes era primordial, o quanto meus problemas são diminutos comparados aos do resto do mundo...
Hoje eu vou falar do Afeganistão, do regime Taliban, e previno-os logo de que quase nada sei, e quando falo quase nada não estou exagerando. Só li um livro e estou terminando outro sobre isso, e não necessariamente os mais complexos no assunto, mas o mínimo que eu li me "animou" a escrever isso.
É realmente um mundo a parte, algo totalmente absurdo, decretos loucos, leis insanas, homens tão cultos obedecendo-as como se fossem as mais sensatas, e mulheres humilhadas e obrigadas a serem submissas sob pena de sofrerem castigos hediondos, muitas vezes de morte, mães matando filhas por elas terem apenas amado, é uma total falta de siso, loucura obrigatória.
E o pior de tudo, fazem tudo a mando de um ser superior, obedecendo a mandamentos religiosos dados por um deus. Mas que deus é esse? Que vida de sofrimento é essa que esse deus impõe aos seres humanos? Eu bem sei que o meu Deus não é assim, é um Deus de misericórdia, nós realmente merecemos a morte, mas Ele com sua infinita graça nos dá a bênção da vida. Pensando bem, alá é bem machista, na lógica que minha mente alcança eu não entendo o porquê da discriminação com as mulheres, elas tem que usar aquele imeeeenso pano (burqa) que cobre todo o seu corpo pra quê? Para não chamar a atenção dos homens, por culpa de sua beleza fenomenal a qual eles não resistiriam, e acabariam pecando? Mas porque eles nao fecham os olhos eles mesmo e se previnem de qualquer incidente? Porque é sempre a mulher a culpada?
-Oh, por favor não mostre a testa moça, o muhammed ali pode se apaixonar!
Eu sei, é ridículo, mas é o que acontece. Uma garota não pode entrar num táxi e ir à esquina com um garoto(o que por sinal é proibido por lei) que já é motivo de grande discussão, principalmente se o garoto nao for lá dos mais ricos, não tiver nascido numa família das mais tradicionais...
Casamento lá é negócio, o pai da mulher negocia o seu preço com os pais dos pretendentes, o que paga mais leva. Eu sei, é nojento! Eu fico cá com meus botões, como elas suportam isso tudo? Elas são iguais a mim, mulher como eu, tem sonhos semelhantes, amam como qualquer outra mulher, a diferença é que no seu país amar é pecado, e o castigo pode ser extremamente severo. Casamento é tão negócio que, como todos sabem, os homens podem casar com quantas mulheres ele puder sustentar, uma deve conviver com a outra, e elas obviamente não se amam, é muita humilhação!
Quando isso vai acabar? Boa pergunta...Migozarad!



2 comentários:

Tadeu Baptista disse...

Minha nobre amiga tem boas intenções... Isso é ótimo!
Falta mesmo ao homem saber o que é que ele é de verdade. Olhar para a mulher como algo que o complete é o que se deve fazer. Pelo menos eu acho.
Acho ainda mais... Quem deveria mandar eram as mulhers. Pois tenho certeza que elas não deixariam de nos tornar iguais.

Continua com seus pensamentos. Tenha certeza que você vai longe.

Grande Beijo

ClAr!ssa FrAncesinHa disse...

Lindoo post
pois é concordo com vc
Li um livro de literato-juvenil
chamado Pavana,a historia de uma garota afegã,SE NAO ME FUGIU O nome
muito bomm
e relata bemm a realidade desse povo
a menina do livro teve que se passar de menino pra poder a familia nao passar fomee
Ow Mundo cruel é esse.
Visita meu blog tá
bijão

Traduza aqui